Buscar
  • Ferraresi Cavalcante

Sorteios irregulares inundam Instagram com engajamento artificial


Wesley Alemão, Renato Garcia, Hugo Milgrau e Nicolas LowCars são nomes de influenciadores no Instagram que talvez você nunca tenha ouvido falar. Mas esses quatro caras estão por trás das 15 publicações em português com mais interações da plataforma. O segredo? Anúncios de sorteios de carros e motos, que geram um verdadeiro tsunami de engajamento artificial.


O volume não é brincadeira: estamos falando de posts com mais de dez milhões de comentários cada.


Isso faz com que os brasileiros dominem inclusive o ranking mundial: das 15 postagens com mais comentários no Instagram em todo o planeta nos últimos 12 meses, 11 delas são de sorteios brazucas de carros e motos.



É IMPORTANTE PORQUE…

  • Os sorteios podem ser ilegais e ferem a política de uso do Instagram

  • Não há controle ou fiscalização, o que torna praticamente impossível verificar se são legítimos

  • A tática é injusta com influenciadores que geram conversas reais



A quantidade de comentários é capaz de superar o total de interações (incluindo likes) de publicações como o novo cabelo da cantora Billie Eilish, o adeus de Cristiano Ronaldo a Maradona e o post que anunciou o falecimento do ator norte-americano Chadwick Boseman.


É fácil notar o tipo de engajamento que é mais artificial: posts com mais likes do que comentários tendem a ter interações mais genuínas.


Grande parte das publicações de sorteios com mais engajamento mostram fotos de carros e motos, mas podem também incluir outros itens de desejo, como computadores, videogames, celulares, cosméticos e até bebidas alcoólicas. Anúncios de premiações em dinheiro também são comuns.


Análise do Núcleo com dados de 290 mil publicações no Instagram no último ano, obtidos pela plataforma de dados CrowdTangle, mostra que somente as postagens da conta de Wesley Alemão totalizam mais de 386 milhões de comentários. O feed de Wesley, que se define em sua bio como “digital influencer”, é um misto de sorteios com imagens de carros de luxo, motos, viagens e fotos em família.


Esta e outras contas brasileiras que aparecem no ranking são majoritariamente baseadas em sorteios. Algumas das regras, como a que diz que quanto mais comentários na foto maior a chance de ganhar, acabam por inflar o engajamento dos posts e também de seguidores – é comum uma condição do sorteio impor que o participante siga outros perfis.



Mas a prática fere a política de uso do Instagram e pode ser ilegal segundo a legislação brasileira.


Em suas diretrizes de comunidade, a rede diz que usuários não devem oferecer “dinheiro ou sorteios em troca de likes, seguidores, comentários ou outro tipo de engajamento”. Além de se posicionar contra comportamentos de spam, como coleção artificial de likes, seguidores ou compartilhamento, o Instagram escreve ainda que usuários devem promover interações sinceras e genuínas.


Pelo lado legal do tema, a discussão é mais complexa, principalmente porque as leis que vigoram sobre sorteios são antigas e não preveem sorteios em redes sociais, por exemplo, de acordo com Thiago Sousa, sócio da Ferraresi Cavalcante Advogados.


O intuito da proibição, disse Sousa ao Núcleo, é coibir a disseminação de jogos de azar e, principalmente, de lavagem de dinheiro. Na prática, no entanto, não há fiscalização – o custo é muito alto, explica o advogado.


Segundo Sousa, existe um parecer que estabelece que a fiscalização só se aplica para casos em que o valor do sorteio supera 10 mil reais. Já existem projetos de lei que visam liberar sorteios do Instagram sob determinadas condições, por exemplo que o valor não ultrapasse 20 mil reais, mas nenhum ainda saiu do papel.

“A LEGISLAÇÃO BRASILEIRA NÃO PERMITE SORTEIO REALIZADO POR PESSOA FÍSICA, APENAS POR PESSOA JURÍDICA E COM PRÉVIA AUTORIZAÇÃO DO MINISTÉRIO DA ECONOMIA/CAIXA ECONÔMICA FEDERAL.” - THIAGO SOUSA, ADVOGADO

Há pouca transparência e auditoria em como esses sorteios gigantescos funcionam.


Uma das ferramentas utilizadas pelos influenciadores é o AppSorteos, que cobra até US$10 para realizar um sorteio de até 3 milhões de comentários. Influencers são encorajados a contatar a empresa, a qual não explica como faz os sorteios e como conseguiria processar dezenas de milhões de comentários. Os termos de uso da plataforma não estavam linkados no menu do site até o fechamento da reportagem.


Outro site que faz isso é o InstaSorteio, que em seus termos de uso diz que “não se responsabiliza e não tem qualquer vínculo por sorteios realizados em redes sociais, tendo em vista que para realizar sorteios em redes sociais deve-se pagar uma taxa ao órgão responsável de acordo com a Lei Nº 5.768”, embora sua única função seja realizar sorteios no Instagram.


No dia 18 de janeiro, a conta @NicolasLowCars, a segunda com mais engajamento no mundo, fez um post para sortear uma Mercedes Exclusive modificada. Diferentemente da maioria dos posts vistos pelo Núcleo, essa publicação traz um número de autorização da promoção – provavelmente a autorização a que se referiu o advogado – além de um disclaimer de que a ação promocional não tem vínculo com o Instagram.


Um dos perfis apurados, com 47 milhões de comentários em apenas 6 publicações, o @bolaodasemana foi tirado do ar no curso desta reportagem - assim como o perfil @allan_rocha_bh.


Todos os perfis citados nesta reportagem foram procurados por comentários via Instagram, mas o Núcleo ainda não teve resposta de nenhum deles.


O tema dá ainda muito pano pra manga e há ainda questões não respondidas: como estes influencers conseguem carros e motos tão caros para sorteá-los? É possível atestar a legitimidade destas promoções? Assim que os perfis responderem, atualizaremos este texto ou, dependendo dos retornos, poderemos produzir uma outra matéria sobre este mesmo assunto.


O Instagram informou somente que está “investigando os perfis citados na matéria” e enviou dois links, um para as regras do Instagram sobre sorteios e o outro sobre as diretrizes de comunidade da plataforma.


COMO FIZEMOS ISSO


O Núcleo usou CrowdTangle, ferramenta do próprio Facebook, para rastrear as contas e postagens com maior engajamento no Instagram durante o último ano. A ferramenta retornou um total de 290 mil posts.


Os termos de uso do CrowdTangle não permitem que publiquemos os dados brutos. O código da análise utilizada pode ser encontrado aqui. Os dados mais condensados podem ser encontrados aqui.


Todos os perfis citados nesta reportagem foram procurados por comentários (Fonte: Núcleo).

Posts recentes

Ver tudo